A chegada do irmão mais novo muda a vida do seu pequeno

A chegada do irmão mais novo muda a vida do seu pequeno

 

A chegada de um irmão mais novo muda os hábitos e a rotina da casa e isso demanda uma adaptação, que pode ser tranquila ou um pouco mais turbulenta. A forma como o primogênito vai reagir à nova situação depende muito de como os pais vão lidar e abordar esse assunto com ele.

 

Como contar para o pequeno?

É importante que a chegada de um irmãozinho seja trabalhada desde o início da gravidez. Dessa maneira, o pequeno tem mais tempo para entender e assimilar a novidade. Além disso, participar de todo o processo aumenta o vínculo entre os irmãos. Portanto, é interessante que o primogênito participe de momentos importantes como a escolha do nome, a organização do quarto ou o exame de ultrassom, por exemplo.

De acordo com Fernanda Veiga, pedagoga integrante da Equipe de Curadoria da Leiturinha, os pais devem ter cuidado no momento de dar a notícia para seu pequeno, “a hora da refeição é sempre uma boa ocasião para reunir e conversar em família. Este é um momento em que o pequeno se sente cuidado pelos pais” afirma. Outra dica é utilizar a literatura infantil como aliada, pois “de maneira lúdica, consegue introduzir qualquer tipo de assunto, deixando aberto o momento para um bom diálogo”, ressalta Fernanda.

 

Dividindo a atenção com o irmão mais novo

Quando, enfim, o caçula chega e passa a fazer parte do dia a dia da casa, a rotina da família vira de cabeça para baixo! Um bebê sempre demanda muita atenção e cuidado e, claro, seu pequeno logo vai perceber isso. Segundo Fernanda Veiga, “é comum que a chegada de um irmão mude o comportamento do primogênito, porque ele ainda não consegue compreender muito bem e sente que vai perder a sua atenção”. O medo de ficar de lado, pode fazer com que o filho mais velho tenha algumas atitudes para chamar a atenção dos pais, como birras e comportamentos que não condizem com sua idade. Portanto, é muito importante que os pais mostrem que ele não irá perder o seu lugar na vida deles.

 

O ideal é reservar alguns momentos para passar com o filho mais velho, de preferência, fazendo programas que ele estava habituado a fazer antes, pode ser andar de bicicleta, ir ao cinema ou ao parque da cidade. No início, enquanto o caçula não pode sair de casa, os pais podem se revezar. Outro ponto importante é, mesmo com as alterações na rotina, estar presente em momentos importantes do cotidiano do pequeno, como a ida e chegada da escola, as refeições e a hora de ajudar a fazer as lições de casa, por exemplo. Isso fará com que ele entenda que os pais continuarão a cuidar dele como antes e que ele não perderá o seu lugar. Logo, seu filho irá perceber que ter um irmãozinho, não significa menos atenção e, sim, ter alguém para dividir, brincar e contar por toda a vida!

 

Fonte: Leiturinha